Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Contra-ataque aos "leaks" em Washington

Contra-ataque aos "leaks" em Washington
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

É o contra-ataque da Casa Branca às fugas de informações confidenciais no governo. O Procurador-geral norte-americano, Jeff Sessions, anunciou que equaciona rever a política sobre jornalistas e as fontes para os obrigar a revelar a origem de informação confidencial.

Sessions deixa em aberto a possibilidade de perseguir judicialmente os jornalistas.

“É importante que o povo americano e aqueles que pensam que divulgar informação confidencial ou sensível saibam que os criminosos que tem acesso às nossa informação mais confidencial para colocar em perigo a nossa segurança nacional estão de facto ser investigados e serão processados”, declarou.

Sessions revelou também que 4 pessoas já foram processadas e que o departamento de Justiça “triplicou o número de investigações ativas”.

Os críticos falam já num possível ataque à liberdade de imprensa.

Desde que Donald Trump tomou posse da presidência dos Estados Unidos, foram inúmeras as fugas de informações. As últimas foram as transcrições integrais de conversas de Trump com o Presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, e com o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull.