Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

MPLA diz que vitória é "inevitável"

MPLA diz que vitória é "inevitável"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Angola conta ainda os votos mas o MPLA afirma que a vitória é “inevitável”

Os resultados das eleições gerais que decorreram na quarta-feira estão a ser apurados, tendo ainda de passar por duas fases antes de serem anunciados. A primeira provincial e a segunda, depois, em Luanda.

Mais de nove milhões de angolanos votaram para eleger o Parlamento do país. O líder do partido mais votado irá suceder a José Eduardo dos Santos.

João Lourenço é apontado como o mais provável vencedor. Poucas horas após o escrutínio, o secretário do Bureau Político do Movimento Popular de Libertação de Angola para as questões políticas e eleitorais, João Martins, afirmou que a vitória do partido, no poder desde 1975, é “inequívoca e praticamente inevitável”.


Apesar de a Comissão Nacional de Eleições ter afirmado que o escrutínio decorreu com normalidade, a UNITA, de Isaías Samakuva, o maior partido da oposição, denunciou a detenção pela polícia, de várias pessoas, na província do Huambo, na quarta-feira.

O líder da CASA-CE, Abel Chivukuvuku, convocou o seu conselho presidencial para analisar “cenários prováveis” pós-eleitorais. Durante a campanha, o político não descartou uma possível coligação governamental com o partido de Samakuva.

Até obterem os resultados finais, os angolanos aguardam para saber qual será o próximo residente do Palácio Presidencial em Luanda.