Barragens espanholas a menos de metade da capacidade

Barragens espanholas a menos de metade da capacidade
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Em julho, 79% do território continental português também se encontrava em situação de seca severa.

PUBLICIDADE

As ruínas de Mansilla de la Sierra, na comunidade espanhola de La Rioja, voltaram a emergir pela primeira vez em mais de meio século. As barragens espanholas estão a menos de 43% da sua capacidade média. E o contexto mais grave de seca vive-se no norte e noroeste do país.

Espanha começou 2017 já com um défice significativo nas reservas de água, que assinalavam pouco mais de 44% da capacidade máxima. Em termos hidrológicos, os últimos três anos já tinham registado um decréscimo em relação aos períodos anteriores. A título de comparação, a média da última década no mês de agosto é de quase 58%.

A falta de precipitação e as elevadas temperaturas que se têm feito sentir explicam este panorama que afetou também Portugal, onde no passado mês de julho 79% do território continental se encontrava em situação de seca severa.

No final de junho, um quarto das zonas hidrológicas espanholas encontrava-se já em situação de emergência. Na zona de La Rioja, mais de 300 criadores de gado enviaram pedidos de ajuda ao governo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Um arquiteto juntou-se a 17 famílias e nasceu a primeira cooperativa de habitação em Madrid

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023

Vinícius Júnior, jogador do Real Madrid, não conseguiu conter as lágrimas ao falar de racismo