Última hora

Última hora

Brasil deverá deixar de ser de maioria católica em 2030

Brasil deverá deixar de ser de maioria católica em 2030
Tamanho do texto Aa Aa

Com uma visita à Colômbia, o papa Francisco regressa esta quarta-feira à América Latina, uma região do mundo de tradição católica mas onde o número de fiéis tem descido de forma progressiva.

À medida que o catolicismo regride, outros cultos avançam, como a Igreja Pentecostal (movimento cristão protestante). Aumenta também o número de ateus e agnósticos.

Se ao longo do século XX, 90% dos latino-americanos se declaravam católicos, essa percentagem ronda agora os 69% e deverá continuar a diminuir.

O Brasil é um dos exemplos mais eloquentes. Calcula-se que nove milhões de brasileiros tenham deixado o catolicismo desde 2014, um ano após o início do pontificado do papa Francisco. No mesmo período, o número de cristãos evangélicos aumentou 29%.

“A Igreja Católica perdeu milhões de fiéis na América Latina, principalmente para a Igreja Pentecostal. Essa foi a razão principal da escolha do primeiro papa latino-americano”, afirmou Andrew Chesnut, especialista em religião da Universidade da Virginia Commonwealth, à agência EFE.

O especialista prevê que o Brasil, o país com maior número de católicos no mundo, deixe de ser de maioria católica em 2030.

Por enquanto, o catolicismo ainda é a religião dominante no Brasil. De acordo com as estatísticas da Igreja Católica, há 172, 2 milhões de brasileiros batizados, um recorde mundial.

O México ocupa o segundo lugar com 110,9 milhões de pessoas batizadas, o que corresponde a 85% da população.

Globalmente, o catolicismo tem perdido terreno em toda a América Latina.

O país menos católico é o Uruguai com 38% de ateus e agnósticos.

“A Igreja vai continuar a perder fiéis e influência política”, estima Andrew Chesnut. O especialista considera que o papa argentino ainda não deu provas de conseguir parar este êxodo religioso.