EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Irma aproxima-se de Miami e vai ser devastador

Irma aproxima-se de Miami e vai ser devastador
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

É o mais poderoso furacão atlântico dos últimos 10 anos fez já pelo menos 19 mortos.

PUBLICIDADE

O furacão Irma vai ter um efeito devastador na Florida e outros Estados norte-americanos, é o que garante a Agência Federal para a Gestão de Emergências (FEMA). Miami prepara-se para o pior. Depois da passagem destruidora pelas Antilhas francesas e holandesas, Haiti e República Dominicana, espera-se que o furacão chegue este sábado à costa norte-americana.

“Não é uma questão de sabermos se a Florida vai sofrer o impacto, mas sim de conhecermos a amplitude e para onde a tempestade se vai dirigir nos próximos quatro a cinco dias, à medida que penetra no território”, disse Brock Long, da FEMA.

View of Hurricane #Irma‘s eye, now southwest of Acklins Island in the #Bahamas with max sustained winds of 150 MPH. #GOES16pic.twitter.com/hloLSeRkVH

— NASA SPoRT (@NASA_SPoRT) September 8, 2017

#Irma poses life-threatening danger to coastal areas from storm surge. EVACUATE if told to do so. It could save your life. pic.twitter.com/6VEFNBF73H

— NWS (@NWS) September 8, 2017

Este que é o mais poderoso furacão atlântico dos últimos 10 anos fez já pelo menos 19 mortos, segundo as informações divulgadas até pelas autoridades dos vários países envolvidos.

Cuba prepara-se também para o pior. Muitos edifícios estão a ser reforçados. Os cubanos esgotam os supermercados e tentam armazenar água e comida para várias semanas. Muitos turistas em cidades costeiras estão a ser transportados para o interior da ilha.

Quinta-feira, foi a costa norte da República Dominicana a ser atingida em cheio pela tempestade, sobretudo a zona de Puerto Plata, também muito frequentada por turistas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Território francês de Saint Martin, nas Caraíbas, alvo de pilhagem após Irma

Mais aquecimento climático, mais furacões?

Primeiros nevões do ano em Berlim e em estocolmo