Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Depois do sismo, o furacão

Depois do sismo, o furacão
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente do México, Enrique Peña Nieto, declarou este sábado três dias de luto nacional pelas vítimas do sismo que atingiu o país na noite de quinta-feira. Pelo menos 61 pessoas morreram, nos estados de Oaxaca, Chiapas e Tabasco.

O terramoto, de magnitude 8,2 registado pouco antes da meia-noite de quinta-feira, deixou em escombros vários municípios do sul do país, com edifícios destruídos e sem energia elétrica.

Foi o mais forte do último século no México, sendo sentido com especial intensidade na costa sul do país, com o epicentro no sudoeste do estado de Chiapas. Na capital, Cidade do México, situada a mais de mil quilómetros, vários edifícios abanaram violentamente. O Serviço sismológico do México registou um total de 266 réplicas nas dez horas que se seguiram ao sismo.

O terramoto afetou também uma grande parte da América central.

O México encontra-se ameaçado agora pelo furacão Katia. Na tarde de sexta-feira, o furacão encontrava-se a 205 km do porto de Veracruz, com ventos de 155 km/h, segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos. De categoria 2, este furacão é esperado no sábado na costa do Golfo do México, no Estado de Veracruz.