Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Catalães na rua a favor do referendo

Catalães na rua a favor do referendo
Tamanho do texto Aa Aa

As manifestações na região autónoma espanhola da Catalunha multiplicam-se a menos de uma semana do referendo independentista catalão que o governo nacional considera ilegal.

Este domingo, cerca de 500 marchas pró-referendo sairam às ruas da região.


Um dia após o anúncio de que a polícia regional catalã, Mossos d’Esquadra, estará sob comando directo do governo espanhol e não do catalão, há também acusações de amotinamento pendentes sobre líderes de movimentos civis pro-independentistas.


Jordi Sànchez, presidente da Assembleia Nacional Catalã, um dos alvos da acusação, declarou: “Não é possível que o abuso de poder sofrido por alguns por parte do governo espanhol possa estender a repressão ao ponto de nos acusar de amotinamento.”

O Tribunal Constitucional declara o referendo ilegal, o primeiro-ministro, Mariano Rajoy, garante que não se fará.

Ada Colau, presidente da Câmara de Barcelona, ecoou esta manhã a declaração do antigo jogador e treinador do FC Barcelona, Pep Guardiola, ao dizer que não é a independência, mas sim os direitos e as liberdades que estão em causa.
Salvador Illa, Secretário da Organização do Partido Socialista Catalão, diz: “A lei tem de ser respeitada, o partido socialista defende que o Estado de Direito é o nosso enquadramento de coexistência, mas apenas com a lei não se acaba o problema catalão, precisamos de fazer mais política”

Depois da apreensão de milhares de boletins de votos para o referendo – para além de coimas impostas a elementos do governo regional e detenções temporárias de políticos catalães -, espera-se a chegada de mais 3 a 4 mil agentes policiais nacionais para se juntarem aos 5 mil já aí posicionados assim como se noticia o envio de canhões de água para a região.


Como nos diz a jornalista da euronews na Catalunha, Cristina Giner: “A região catalã enfrenta o sprint final com uma grave crise entre os governos espanhol e catalão e com demonstrações nas ruas todos os dias.”