EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Antigo presidente da Generalitat diz que "Catalunha não está preparada para independência real"

Antigo presidente da Generalitat diz que "Catalunha não está preparada para independência real"
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As palavras de Artur Más, durante uma entrevista ao britânico Financial Times, provocaram reações em Barcelona.

PUBLICIDADE

O antigo presidente do governo regional catalão, a Generalitat, Artur Mas, afirmou que a Catalunha ainda não está preparada para uma “independência real”, numa entrevista publicada no diário britânico Financial Times.

A região catalã “ganhou o direito de converter-se num Estado independente”, disse, reconhecendo, no entanto, a existência de um debate entre os líderes catalães sobre se este é o momento de declarar unilateralmente a independência.

“A pergunta que se impõe agora é como exercemos esse direito e aqui há obviamente decisões a tomar. E essas decisões devem ter um objetivo em mente: não se trata apenas de proclamar a independência, mas temos realmente de transformarmo-nos num país independente”, continuou.

Artur Mas: ‘This is not just about proclaiming independence but about actually becoming an independent country’ https://t.co/EosjXZ882t

— Financial Times (@FT) 6 octobre 2017

Mas frisou que para ser independente, existem algumas coisas que a Catalunha ainda não tem, numa referência a áreas como o controlo territorial, sistema judicial ou sistema tributário.

O responsável pelo referendo de 2014

Em março de 2017, o Tribunal Superior de Justiça da Catalunha condenou Artur Mas a dois anos de inelegibilidade, por ter desobedecido à ordem do Tribunal Constitucional e mantido o referendo à independência da Catalunha que se realizou em novembro de 2014. Os comentários feitos pelo ex-líder catalão poderiam ser interpretados como um pedido de cautela, numa altura em que algumas empresas anunciaram a transferência das suas sedes de Barcelona para outras cidades espanholas.

Estas entidades adotaram esta medida depois de o Conselho de Ministros espanhol ter aprovado um decreto-lei que facilita e acelera a tarefa das empresas que queiram mudar a sua sede social da Catalunha para outras regiões do país.

Com Lusa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Pensar a independência fora da Catalunha

Madrid aumenta a pressão sobre a Catalunha

Navio de cruzeiro com 1500 passageiros retido em Barcelona porque 69 bolivianos têm vistos falsos