Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Forças de Bagdade cercam Kirkuk

Forças de Bagdade cercam Kirkuk
Tamanho do texto Aa Aa

As forças governamentais iraquianas cercaram a cidade de Kirkuk, no norte do país, em resposta ao referendo de autodeterminação que ocorreu na região autónoma do Curdistão iraquiano, no final de setembro, e considerado ilegal por Bagdade.

A operação desenvolve-se em várias frentes e as forças federais contam com a oposição das unidades peshmergas.


O major-general Ayoub Yusuf Said, comandante de uma unidade Peshmerga, afirma que “não sei o que está a acontecer, porque estamos a lutar desde as quatro da manhã, na zona de Taza. Sofremos baixas, e agora retirámos para esta posição.”.

Os militantes peshmergas prometem defender a região, rica em petróleo, um dos pilares económicos de um futuro Curdistão independente.

“São iranianos e não soldados iraquianos que vêm ocupar a nossa cidade. Encaramo-los como terroristas e não podemos deixá-los entrar. Vamos lutar contra eles e lutaremos contra o o general iraniano Qassem Soleimani. Eles não são iraquianos e não falam árabe, falam persa. Eles querem matar-nos e aniquilar os curdos como fizeram com os sunitas”, afirma um combatente curdo.

Na noite de domingo para segunda-feira, as forças iraquianas lançaram a ofensiva para recuperar uma base militar e vários campos petrolíferos.

Milhares de pessoas, incluindo famílias inteiras abandoram já a cidade, fugindo do conflito anunciado.