Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Cristiano Ronaldo, "the best"

Cristiano Ronaldo, "the best"
Tamanho do texto Aa Aa

Imparável, Cristiano Ronaldo voltou a ser considerado, esta segunda-feira, o melhor jogador do mundo para a Federação Internacional de Futebol (FIFA).

O internacional português igualou o rival argentino Lionel Messi ao vencer, pela quinta vez, a terceira consecutiva, o prémio de melhor do ano, atribuído pela FIFA numa cerimónia que decorreu em Londres.

Para trás ficaram Messi, em segundo lugar, e o brasileiro Neymar, em terceiro, também candidatos ao prémio de melhor futebolista.

O ex-futebolista e atual treinador do Real Madrid, o francês Zinedine Zidane, foi distinguido como o melhor treinador do ano.

Gianluigi Buffon, da Juventus, foi eleito pela FIFA o melhor guarda-redes do mundo em 2017.

O melhor “11” da época 2016/2017 ficou composto com Gianluigi Buffon; Dani alves, Leonardo Bonucci, Sergio Ramos e Marcelo; Andres Iniesta, Toni Kroos e Luka Modric; Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo.

O golo do ano, distinguido com o prémio “Puskas”, foi este ano entegue ao francês Olivier Giroud, pelo “golpe de escorpião” com que finalizou uma excelente jogada coletiva de contra-ataque num jogo da Liga inglesa contra o Crystal Palace a 01 de janeiro de 2017.



O prémio “fair play” (desportivismo) foi para Francis Koné, do Togo, de 26 anos. O ex-jogador do Olhanense, atualmente no Zbrojovka Brno, da República Checa, salvou a vida a um adversário durante uma partida da Liga nacional. O então guarda-redes do Bohemians, Martin Berkovec, bem o pode agradecer aos primeiros socorros prestados por Koné, na altura jogador do Slovacko.



No futebol feminino, a melhor jogadora foi a holandesa Lieke Martens, do Barcelona, e a melhor treinadora a compatriota Sarina Wiegman, selecionadora da Holanda.

Os melhores adeptos foram, desta feita, os escoceses.

Dois grandes (o brasileiro Ronaldo e o argentino Maradona) fizeram as honras da casa na entega dos prémios aos melhores do ano na FIFA.