Última hora
This content is not available in your region

Administração Trump deverá permitir importação de troféus de caça

Administração Trump deverá permitir importação de troféus de caça
Tamanho do texto Aa Aa

A Administração Trump enfrenta duras crítiticas da parte das associações de defesa dos direitos dos animais por ter decidido reautorizar a importação dos chamados troféus de caça de elefantes. A decisão abrange exemplares mortos pelos caçadores no Zimbuabé e na Zâmbia.

Washington decidiu anular uma decisão do antigo presidente Barack Obama, que impedia a importação de marfim de elefante, espécie ameaçada e cuja população enfrenta uma redução preocupante.

A informação relativa à decisão dos EUA foi avançada numa página digital de um conhecido fórum sul-africano de caça, o Club International Foundation, que, juntamente com a National Rifle Association, (NRA), batalhou para conseguir que a lei de Obama fosse anulada.

As autoridades deverão, no final do primeiro semestre de 2018, proceder a “uma avaliação da situação”, para decidir depois se continuarão a permitir a importação de troféus de caça durante mais tempo.

Calcula-se que cerca de 100 exemplares de elefante sejam mortos todos os dias.

O Centro para a Diversidade Biológica, com sede em Tucson, no estado do Arizona, diz que o facto de que seja permitido importar, para os EUA, pés, presas ou caudas de elefantes mortos, significa que o presidente Trump “está de acordo com a extinção de uma espécie ameaçada”.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.