Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Judo está de volta à Holanda

Judo está de volta à Holanda
Tamanho do texto Aa Aa

Depois de um hiato de seis anos, o judo está de volta à Holanda. A cidade de Haia recebe o último Grande Prémio do Circuito Mundial da Federação Internacional da modalidade.

A mulher da jornada desta sexta-feira foi a jovem de 17 anos Daria Bilodid. Impôs-se sobre a cazaque Otgontsetseg Galbadrakh na final de -48kg.

A jovem ucraniana surpreendeu a rival no “ponto de ouro”. Conseguiu um “waza-ari”, aliado a uma destreza inteligente dos pés, que lhe valeu a primeira medalha de ouro num Grande Prémio.

Bilodid tem certamente um futuro brilhante pela frente, mas por agora poderá saborear o gosto da vitória.

O ministro holandês da Saúde Pública e do Desporto, Bruno Bruins, atribuiu-lhe a medalha de ouro.

“Perdi no Campeonato do Mundo Sénior e fiquei desapontada. Depois disso, organizei um plano especial com os meus treinadores e foi muito difícil preparar-me. Estou satisfeita por ter conseguido. Venci, mas sei que o futuro será difícil”, disse Bilodid.

O turco Bekir Ozlu impôs-se sobre o britânico Ashley McKenzie e converteu-se no homem da jornada.

Uma mudança de rumo na final da categoria de -60kg permitiu-lhe conseguir um “ippon”, deixando o rival estendido e abrindo o caminho para levar a medalha de ouro.

Recebeu a medalha da mão de Rudmer Heerema, deputado responsável pelo desporto e educação na Holanda.

A Mongólia conseguiu um ouro na categoria de -66kg depois de Baskhuu Yondonperenlei se impor, por “ippon”, sobre o rival russo.

O Kosovo levou para casa os dois últimos ouros a jogo da jornada, graças a Nora Gjakova, na categoria de -57kg, e a Distria Krasniqi, na de -52kg, emocionando o público holandês adepto da modalidade.

“A Holanda tem, está claro, uma grande herança no judo. Tornou a modalidade conhecida no mundo. Durante muitos anos tivemos um Grande Prémio no qual competi e venci algumas vezes. Tenho muito boas memórias. Não só de vitórias, mas também do público holandês. Adoram judo. Penso que é muito importante que o Grande Prémio esteja de volta à Holanda”, sublinhou Dennis Van Der Geest, campeão do mundo (2005).

A única oportunidade da jornada para a Holanda conseguir uma medalha esfumou-se com o golpe do dia. O mongol Amartuvshin Dashdavaa contra-atacou, de forma brilhante, o jovem holandês Roy Koffijberg na luta pelo bronze na categoria de -60kg.