Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Bangladesh e Myanmar negoceiam solução para a crise dos rohingyas

Bangladesh e Myanmar negoceiam solução para a crise dos rohingyas
Tamanho do texto Aa Aa

O Bangladesh e Myanmar iniciaram negociações com vista ao repatriamento dos mais de 600 mil rohingyas que foram obrigados a fugir da antiga Birmânia.

A União Europeia e a China apoiam as iniciativas do governo do Bangladesh com vista a encontrar uma solução para a crise.

A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, assim como outros ministros dos Negócios Estrangeiros visitaram este domingo o campo de refugiados de Kutupalong.

“Mais do que pressionar, diria que a nossa abordagem sempre foi e continua a ser abrir o espaço para a negociação. É da responsabilidade das autoridades encontrar soluções e a comunidade internacional indicou algumas, especialmente o plano de Kofi Annan, e Aung San Suu Kyi comprometeu-se a implementá-las e estamos aqui para apoiá-la nesse sentido”, afirmou Mogherini.

O próximo destino do périplo asiático de Mogherini será justamente Myanmar onde se reunirá com a líder de facto do governo birmanês, Aung San Suu Kyi, para evocar a crise dos rohingyas. Uma reunião que o ministro chinês dos Negócios Estrangeiros já efetuou este domingo.

O último relatório, do grupo de coordenação intersetorial da ONU, dá conta da chegada de 620 mil rohingyas ao Bangaldesh em dois meses e meio.