EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Paris e Amesterdão já estão a "lucrar" com o "brexit"

Paris e Amesterdão já estão a "lucrar" com o "brexit"
Direitos de autor 
De  Francisco Marques
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Tal como na eleição da nova sede da EMA, a capital francesa precisou de um sorteio para ganhar a EBA

PUBLICIDADE

O “brexit” já começa a fazer-se sentir e a deixar o Reino Unido mais pobre. Até março de 2019, Londres vai ver partir para Paris a Autoridade Bancária Europeia e para Amesterdão a Agência Europeia do Medicamento.

As duas votações decorreram esta segunda -feira num Conselho de Assuntos Gerais da União Europeia, com a participação de 27 Estados-membros — o Reino Unido já não teve voto na matéria. Ambas necessitaram de terceiras rondas e no final os desempates foram decididos por sorteio.

Na votação da instituição financeira criada em 2011, Frankfurt foi eliminada na segunda ronda. No duelo final com Dublin, Paris foi foi a sorteada após ambas terem conseguido 13 votos.

Paris will be the new location of the European Banking Authority

Background info on the relocation of the UK-based EU agencies: https://t.co/MasW1n0Gohpic.twitter.com/mG22rNQFIs

— EU2017EE (@EU2017EE) 20 de novembro de 2017

À Agência Europeia do Medicamento candidatarm-se 19 Estados-membros, incluindo Portugal, através do Porto.

A EMA também foi disputada até última, com Milão a ganhar a duas primeiras votações, mas a perder o sorteio final. O Porto foi a sétima mais votada a par de Atenas.

Amesterdão acabou por sair vencedora, vai tornar-se agora na capital europeia da indústria farmacêutica e receber os mais de 800 trabalhadores da agência do medicamento.

Main results from today’s General Affairs Council (Art.50): https://t.co/R4sywSlTyT#EMA#EBAEBA_News</a> <a href="https://twitter.com/EMA_News?ref_src=twsrc%5Etfw">EMA_NewsNathalieLoiseau</a> <a href="https://twitter.com/HalbeZijlstra?ref_src=twsrc%5Etfw">HalbeZijlstraMattiMaasikas</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/EU2017EU?src=hash&ref_src=twsrc%5Etfw">#EU2017EU</a> <a href="https://t.co/HUQf7UhjNe">pic.twitter.com/HUQf7UhjNe</a></p>— EU Council Press (EUCouncilPress) 20 de novembro de 2017

As más notícias para Londres não ficam por aqui.

Com o adeus destas duas instituições, o Reino Unido perde mais de um milhar de postos de trabalho além do impacto fiscal que ambas terão nos Estados-membros para onde vão migrar.

Se perder o acesso ao mercado único, estima-se que cerca de 10 mil postos de trabalho vão desaparecer no Reino Unido ou ser criados na União Europeia nos próximos anos, previu a Reuters em setembro.

O setor dos serviços financeiros é responsável por cerca de 12 por cento da produção britânica e vale mais impostos à Rainha Isabel II do que qualquer outra indústria.

European Medicines Agency (EMA) and the European Banking Authority (EBA) from London to Amsterdam and Paris.

The relocation of the two EU Agencies is a direct consequence and first visible result of #Brexithttps://t.co/ruqcekdcVC

— European Commission (@EU_Commission) 20 de novembro de 2017

O dia ficou ainda marcado pelo anúncio do Goldman Sachs de que deverá mudar a representação europeia de Londres para Frankfurt e também Paris.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Stonehenge intacto após ato de vandalismo de ativistas pelo clima

Pelo menos 85 migrantes resgatados no Canal da Mancha perto de Dover

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak