Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Ratko Mladic em prisão perpétua por crimes na ex-Jugoslávia

Ratko Mladic em prisão perpétua por crimes na ex-Jugoslávia
Tamanho do texto Aa Aa

Ex-líder militar dos sérvios da Bósnia Ratko Mladic, de 72 anos, foi condenado a prisão perpétua por crimes de guerra e contra a humanidade na ex-Jugoslávia.

O juiz do Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia (TPI-J) considerou que o antigo chefe militar sérvio-bósnio Ratko Mladic quis cometer genocídio em Srebrenica, enclave muçulmano na Bósnia onde foram mortos 7.000 homens e rapazes.


O antigo chefe militar ainda provocou o adiamento da sentença por cerca de uma hora quando se enervou e teve de ser retirado da sala.

De acordo com Darko Mladic, o filho, o agora condenado a passar o resto da vida na prisão terá tido inclusive necessidade de medir a tensão arterial.

Apelidado “o carniceiro dos Balcãs”, Mladic foi julgado durante mais de quatro anos por um total de 11 acusações — duas de genocídio, quatro de crimes de guerra e cinco de crimes contra a humanidade — cometidos durante a guerra da Bósnia (1992-1995), entre os quais o massacre de Srebrenica e o cerco da capital Sarajevo.


O alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos descreveu Mladic como “o epítome do mal” e considerou o veredito lido em Haia como “aquilo que a justiça internacional deve ser.”

“O veredito de hoje (quarta-feira) é um aviso para os responsáveis deste tipo de crimes de que eles não vão escapar à justiça, independentemente do poder que tenham ou do tempo que levar”, expressou Zeid bin Ra’ad Zeid al-Hussein, o também reprsentante permanente da Jordania nas Nações Unidas.



[em atualização]