Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Austrália pede a EUA para reforçarem presença na Ásia

Austrália pede a EUA para reforçarem presença na Ásia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Austrália convidou os Estados Unidos a reforçar a presença na Ásia e a estreitar laços com as outras democracias da região para travar a crescente influência da China. Um convite que acaba por ser um pedido a Donald Trump para abandonar as suas políticas isolacionistas em prol do bem global.

O livro branco, guia para a diplomacia australiana, foi publicado esta quinta-feira e apesar do apelo a Washington, não deixa de existir uma preocupação para não antagonizar o seu principal parceiro económico.

Apesar de reconhecer que o crescimento económico do gigante asiático beneficia a Austrália, Camberra não deixou de criticar as reivindicações territoriais no mar da China. Pequim não perdeu tempo a responder, classificando esses comentários como irresponsáveis e convidando a Austrália a não se intrometer.

O documento de 115 páginas identifica a Coreia do Norte como a principal ameaça a curto prazo e refere ser cada vez mais difícil tomar uma ação concertada contra Pyongyang uma vez que existem grandes potências que teimam em ignorar ou minar a lei internacional.