Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

SPD alemão entreabre a porta a possível acordo com Merkel

SPD alemão entreabre a porta a possível acordo com Merkel
Tamanho do texto Aa Aa

Os Sociais-Democratas alemães fazem marcha-atrás na recusa rotunda em discutir a reedição da coligação governamental com Angela Merkel.

A direção do partido SPD, reunida durante a noite em Berlim, anunciou esta manhã que está pronta a negociar um eventual acordo, após o fracasso da Chanceler em funções em conseguir formar um governo tripartido com liberais e ecologistas.

O entendimento com o SPD poderia evitar a convocação de novas eleições, embora alguns membros da formação prefiram a outra opção, um governo minoritário chefiado por Merkel.

Segundo o líder regional do SPD no estado da Saxónia-Anhalt, Burkhard Lischka, "Eu posso imaginar que se possa assinar um acordo com diferentes partidos em torno de tópicos fundamentais como a Europa, a política externa, a política fiscal e outros temas consensuais. Mas quando há posições divergentes sobre determinados temas é o parlamento que vai ter a decisão final".

Para o deputado da CDU, Armin Schuster, "quero apelar ao SPD para que aproveite esta oportunidade com coragem, e que ao contrário da última grande coligação, que chegue a um acordo de governo em torno de grandes linhas que não representem um casamento forçado como da última vez".

O líder dos sociais-democratas, Martin Schulz, reuniu-se ontem com o presidente alemão e colega de partido, Frank-Walter Steinmeier, para tentar ultrapassar o impasse pós-eleitoral.

O antigo presidente do Parlamento Europeu tinha, até agora, decidido manter-se na oposição após a sua formação ter sido derrotada com o pior resultado de sempre nas eleições de Setembro, marcadas pela ascensão da extrema-direita ao lugar de terceiro maior partido alemão.

Schulz deverá agora reunir-se com Merkel e o presidente alemão na próxima semana para tentar encontrar um entendimento.