Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Reações à morte de Belmiro vão de "homem simples" a "esclavagista dos tempos modernos"

Belmiro de Azevedo
Belmiro de Azevedo -
Direitos de autor
Valdemir1
Tamanho do texto Aa Aa

Belmiro de Azevedo era a cara da Sonae, empresa que representa 4% do PIB do país. Morreu com 79 anos. Várias fontes não oficiais dizem que o empresário foi vítima de doença oncológica. 

As reações à sua morte não tardaram a chegar.

Marcelo Rebelo de Sousa realçou, no comunicado da página da Presidência da República, a visão do futuro que Belmiro teve ao longo dos 40 anos em que esteve à frente da Sonae. 

“No momento em que nos deixa, quero homenagear o Eng.º Belmiro de Azevedo, figura marcante do nosso meio empresarial e da sociedade portuguesa, em termos de liderança, determinação, visão de futuro e empenhamento social e cultural ao longo de mais de 40 anos, e apresento à Família as minhas sentidas condolências.”, escreveu Marcelo Rebelo de Sousa.

O antigo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, também reagiu à morte do empresário.

Lembrou Belmiro como "uma personalidade marcante e uma voz livre", afirmando que a economia portuguesa "beneficiou enormemente" com a sua ousadia e visão:

"Com a morte do engenheiro Belmiro de Azevedo, Portugal perdeu uma personalidade marcante e uma voz livre", disse o antigo chefe de Estado, numa declaração à agência Lusa.

Mal a morte do empresário foi divulgada, as redes sociais reagiram.

Belmiro de Azevedo foi lembrado por ter construído um império independente e por nunca ter cedido a governos. 

O secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, diz que Belmiro foi “um empresário único no pós-25 de Abril”:

O Eurodeputado Carlos Zorrinho lembra Belmiro como "um grande empreendedor":

Belmiro de Azevedo era sócio do Futebol Clube do Porto há 55 anos. A empresa também reagiu, através da rede social Twitter:

Belmiro de Azevedo era uma figura conhecida por todos. Nasceu numa aldeia em Marco de Canavezes, fez riqueza do nada e nunca foi de grandes luxos. Lembrado por todos como um homem simples, ia às compras, de chinelos e calções, ao supermercado Continente do Marco de Canavezes, onde vivia. 

Entre as milhares de publicações de despedida, foram muitas as que criticaram as políticas do empresário, acusando-o de escravatura e lembrando a polémica frase: "Sem mão de obra barata não há emprego.", que disse em Março de 2013.

O Parlamento aprovou esta quarta-feira voto de pesar pela morte do empresário.

O PCP votou contra e o Bloco de Esquerda e os Verdes abstiveram-se. O voto contra do PCP também foi alvo de críticas nas redes sociais. Link do vídeo

A irmã do empresário, Ana Azevedo, morreu no mesmo dia do que o irmão. Estava internada no IPO do Porto. 

O funeral do empresário está marcado para esta quinta-feira, às 16h00, na Paróquia de Cristo Rei, no Porto.