Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Puidgemont não deixa Bruxelas tão cedo

Puidgemont não deixa Bruxelas tão cedo
Tamanho do texto Aa Aa

Carles Puigdemont vai continuar na Bélgica a fazer campanha para as eleições de 21 de dezembro na região autónoma da Catalunha.

As autoridades espanholas puseram fim às medidas com vista à sua extradição, mas o ex-governante catalão será preso se voltar ao país.


Puidgmont acredita que isso pode mudar dentro de algumas semanas, argumentando: “Que paradoxo seria que, depois de investido, eu teria que deixar o Parlamento algemado”.

“É um paradoxo que, acredito honestamente, o Estado espanhol, que é uma democracia madura, não se pode permitir”, acrescentou.


Numa ação de campanha, quarta-feira, em Bruxelas, Puigdemont disse que o sistema de justiça espanhol foi ridicularizado e que o governo terá ainda de recuar mais nas ações contra os independentistas.

“Ao fim de apenas 30 dias decidiram retirar o mandado de detenção europeu porque temiam o que o mundo ira dizer. Começaram por retirar o mandado europeu e acabarão por retirar o artigo 155 e a repressão”, referiu Puidgemont.

Uma manifestação pró-independentista está marcada para quinta-feira, em Bruxelas.