EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Protestos no palco e manifestações anti-Israel ensombram a Eurovisão 2024

Eden Golan, de Israel, interpreta a canção Hurricane durante o ensaio geral da segunda semi-final do Festival Eurovisão da Canção
Eden Golan, de Israel, interpreta a canção Hurricane durante o ensaio geral da segunda semi-final do Festival Eurovisão da Canção Direitos de autor AP Photo/Martin Meissner
Direitos de autor AP Photo/Martin Meissner
De  David Mouriquand
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Houve protestos no palco, na primeira meia-final da Eurovisão 2024. As autoridades da cidade sueca de Malmö estão em alerta máximo. A segunda meia-final realiza-se hoje.

PUBLICIDADE

A polícia sueca garantiu que os fãs não precisam de se preocupar com a segurança no Festival Eurovisão da Canção deste ano, apesar das tensões acrescidas devido ao conflito em Gaza.

No entanto, o concurso continua a ser ensombrado por protestos contra a participação de Israel devido à guerra em curso.

As autoridades de Malmö estão em alerta máximo, uma vez que a segunda semifinal tem lugar hoje e é esperada uma afluência de cerca de 100.000 fãs da Eurovisão, juntamente com dezenas de milhares de manifestantes pró-palestinianos.

Estão previstas manifestações hoje e sábado contra a guerra entre Israel e o Hamas.

As bandeiras palestinianas foram proibidas no recinto da Malmö Arena, uma vez que o antigo concorrente sueco da Eurovisão, Eric Saade, cujo pai é de origem palestiniana, usou um lenço keffiyeh tradicional do Médio Oriente durante a atuação de abertura. O lenço tornou-se um símbolo internacional do sentimento pró-palestiniano.

Um porta-voz da União Europeia de Radiodifusão (UER) declarou: "O Festival Eurovisão da Canção é um espetáculo televisivo em direto. Todos os artistas são informados das regras do concurso e lamentamos que Eric Saade tenha optado por comprometer a natureza não política do evento".

A estrela pop sueca Eric Saade, que é de origem palestiniana, colocou um Keffiyeh no pulso
A estrela pop sueca Eric Saade, que é de origem palestiniana, colocou um Keffiyeh no pulsoMartin Meissner/AP

Esta não foi a única polémica em palco.

Bambie Thug, que representa a Irlanda e se qualificou para a grande final no sábado, criticou os organizadores por lhes terem pedido que alterassem uma mensagem pró-palestiniana antes da sua atuação na primeira semi-final.

O artista disse durante uma conferência de imprensa que tinha sido forçado a alterar a escrita pintada no seu corpo antes da atuação na semi-final. A escrita, traduzida do alfabeto medieval Ogham, dizia: "Cessar-fogo e liberdade".

"Infelizmente, hoje tive de mudar essas mensagens para "coroar a bruxa", o que foi uma ordem da UER".

Bambie Thug, da Irlanda, interpreta a canção Doomsday Blue durante o ensaio geral da primeira semifinal do Festival Eurovisão da Canção
Bambie Thug, da Irlanda, interpreta a canção Doomsday Blue durante o ensaio geral da primeira semifinal do Festival Eurovisão da CançãoMartin Meissner/ AP

Um porta-voz da UER declarou: "A escrita que se viu no corpo de Bambie Thug durante os ensaios gerais infringiu as regras do concurso, que se destinam a proteger a natureza não política do evento. Após discussões com a delegação irlandesa, esta concordou em alterar o texto para o espetáculo ao vivo".

A representante de Israel, Eden Golan, de 20 anos, tem estado confinada ao seu quarto de hotel enquanto não atua, devido a preocupações de segurança acrescidas.

A sua estreia será na segunda semifinal desta quinta-feira e terá sido recebida com vaias e aplausos durante um ensaio geral.

Em comunicado, Golan afirmou: "Estou orgulhosa de representar o meu país, especialmente este ano. Estou a receber apoio e carinho e estou determinada a dar o meu melhor na semifinal e nada me demoverá desse objetivo!"

Antes da atuação de Golan, o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel publicou no X: "Estamos incrivelmente orgulhosos de Eden Golan, que está a representar o nosso país na Eurovisão. Ela não é apenas uma intérprete excecional, mas um símbolo de força e resiliência. Adoramos-te Eden e todo o nosso país está a torcer por ti".

Na semana passada, Israel aumentou o seu alerta de viagem para a cidade do sul da Suécia, invocando "um receio bem fundamentado" de que os terroristas pudessem ter como alvo os israelitas que participam no concurso. A Suécia já se encontrava num nível de terror de quatro em cinco, e o chefe da agência de segurança israelita Shin Bet liderou uma delegação de funcionários do departamento de proteção VIP a Malmö para coordenar as medidas de segurança.

As segundas meias-finais do Festival Eurovisão da Canção realizam-se na quinta-feira, 9 de maio, antes da grande final, no sábado, 11 de maio.

Outras fontes • The Times of Israel

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Primeira semifinal do Festival Eurovisão da Canção começou com pop e protestos pró-palestinianos

Quem vai ganhar a Eurovisão 2024? Eis as nossas previsões

Festival de Cinema de Cannes 2024 em fotos: 15 momentos inesquecíveis na passadeira vermelha