EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

O que se segue para o Irão depois da morte do presidente?

Nesta fotografia divulgada pelo Gabinete da Presidência iraniana, o Presidente Ebrahim Raisi participa numa reunião com o seu homólogo azeri Ilham Aliyev, 19 de maio de 2024.
Nesta fotografia divulgada pelo Gabinete da Presidência iraniana, o Presidente Ebrahim Raisi participa numa reunião com o seu homólogo azeri Ilham Aliyev, 19 de maio de 2024. Direitos de autor AP/AP
Direitos de autor AP/AP
De  Tamsin Paternoster
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

A notícia de que o presidente iraniano, Ebrahim Raisi, e o seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Hossein Amirabdollahian, morreram num acidente de helicóptero provocou ondas de choque na região.

O que é que aconteceu?

PUBLICIDADE

A televisão estatal iraniana anunciou na segunda-feira que o presidente do Irão, Ebrahim Raisi, e o ministro dos Negócios Estrangeiros, Hossein Amirabdollahian, morreram na queda de um helicóptero, após várias horas de operações de busca.

As circunstâncias do acidente - que ocorreu na floresta de Dizmar, na província iraniana do Azerbaijão Oriental - ainda não são claras.

Os dois governantes regressavam à cidade de Tabriz, no norte do Irão, após uma viagem à fronteira do país com o Azerbaijão para inaugurar uma barragem com o presidente azeri Ilham Aliyev.

Porque é que as operações de salvamento demoraram tanto tempo?

Apesar de as operações de buscas terem começado no domingo, a morte de Reisi e do ministro dos Negócios Estrangeiros só foi anunciada pela televisão estatal iraniana na segunda-feira de manhã, às 8:00 (hora local).  

O presidente da Sociedade do Crescente Vermelho Iraniano, Pir-Hossein Koulivand, disse à agência noticiosa IRNA que as 40 equipas terrestres foram travadas por "condições meteorológicas difíceis", incluindo terreno montanhoso e nevoeiro intenso.

Koulivand acrescentou que as buscas com drones foram impossíveis devido ao mau tempo.

Veículos das equipas de salvamento perto do local do acidente com o helicóptero que transportava o presidente iraniano Ebrahim Raisi em Varzaghan, no noroeste do Irão
Veículos das equipas de salvamento perto do local do acidente com o helicóptero que transportava o presidente iraniano Ebrahim Raisi em Varzaghan, no noroeste do IrãoAzin Haghighi/AP

Quem assumirá o controlo?

De acordo com a Constituição iraniana, em caso de morte do Presidente, o primeiro vice-presidente do país, Mohammad Mokhber, assume o cargo de Presidente interino. No prazo de 50 dias, realizar-se-ão novas eleições presidenciais.

Mokhber, de 68 anos, é um antigo oficial do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica e, tal como Raisi, é considerado próximo do líder supremo iraniano, Ali Khamenei. É provável que não mude de rumo em matéria de política externa e interna.

O Presidente do Irão é o chefe do poder executivo do país e é eleito de quatro em quatro anos.

O cargo controla o governo e tem potencial para exercer um poder significativo. No entanto, os observadores salientam que o verdadeiro poder no Irão reside no Corpo de Guardas da Revolução Islâmica, um ramo das forças armadas.

Ali Bagheri Kani substituirá o ministro dos Negócios Estrangeiros, Hossein Amir Abdollahian, segundo a imprensa estatal iraniana.

Será ministro interino até às eleições, ocupando o cargo por um período máximo de 50 dias, de acordo com a Constituição.

Qual é a reação dos iranianos?

A morte de Raisi e do seu ministro dos Negócios Estrangeiros suscitou o luto e a celebração dos iranianos por todo o mundo.

O líder supremo Khamenei anunciou cinco dias de luto no país. Entretanto, os meios de comunicação social iranianos mostraram imagens de algumas pessoas a chorar e a rezar por Raisi.

Mas o quadro é diferente nas redes sociais, onde as narrativas e as imagens não são objeto de um controlo tão apertado.

Peregrinos rezam pelo Presidente iraniano Ebrahim Raisi no Santuário Imam Reza, na cidade de Mashhad
Peregrinos rezam pelo Presidente iraniano Ebrahim Raisi no Santuário Imam Reza, na cidade de MashhadMohammad Hasan Salavati/AP

Os meios de comunicação social iranianos noutros países, bem como vários ativistas no Irão, manifestaram a sua alegria pelo acidente que vitimou a dupla, sendo a República Islâmica profundamente impopular em vastos sectores da sociedade.

Masih Alinejad, ativista iraniana dos direitos das mulheres, publicou no X: "Não exprimam condolências aos milhares de vítimas de Ebrahim Raisi. Em vez disso, manifestem o vosso apoio ao povo do Irão".

Alinejad apelidou o dia de "Dia Mundial do Helicóptero!".

PUBLICIDADE

Qual será o impacto?

Raisi era visto como um possível sucessor do líder supremo do Irão, Ali Khamenei.

A sua morte levanta questões sobre quem irá substituir Khamenei à medida que este envelhece.

Até à data, a classe política tem indicado que Raisi e o filho de Khamenei, Mojtaba Khamenei, são os principais candidatos ao cargo.

A morte de Raisi deixa Mojtaba com um caminho livre para o poder político. No entanto, a sua nomeação deixaria o establishment político iraniano exposto a alegações de nepotismo por parte dos líderes da Revolução Islâmica de 1979, que se opõem a um sistema político que se assemelhe à monarquia que derrubaram.

O acidente que matou Reisi ocorre numa conjuntura politicamente tensa, uma vez que o Irão se encontra no centro de várias crises geopolíticas, incluindo o seu controverso programa nuclear e o seu envolvimento na guerra entre Israel e o Hamas.

PUBLICIDADE

Uma mudança de liderança poderá provocar alterações na forma como o Presidente lida com as interações com o Ocidente e as potências regionais.

No Irão, a morte de Raisi pode dar origem a uma nova vaga de protestos e exacerbar as tensões sociais existentes.

Cria também um vazio de poder que a Guarda Revolucionária, um poderoso ramo das Forças Armadas iranianas, poderá tentar explorar.

O líder supremo, Ayatollah Ali Khamenei, participa numa reunião com um grupo de professores em Teerão, Irão, quarta-feira, 1 de maio de 2024.
O líder supremo, Ayatollah Ali Khamenei, participa numa reunião com um grupo de professores em Teerão, Irão, quarta-feira, 1 de maio de 2024.AP/Office of the Iranian Supreme Leader

Israel esteve envolvido?

Até ao momento, a sugestão de que Israel estaria diretamente envolvido no misterioso acidente de helicóptero que matou Raisi e Amirabdollahian não passa de especulação.

As autoridades israelitas ainda não se pronunciaram oficialmente sobre o incidente. No entanto, a teoria ganhou força entre os iranianos, tendo em conta a animosidade entre os dois países.

PUBLICIDADE

Acredita-se que, no passado, Israel tenha efetuado vários ataques a altos funcionários militares iranianos.

Os especialistas sugerem que é improvável que Israel ataque um presidente em funções, uma vez que tal equivaleria a um ato direto de guerra e provocaria uma resposta intensa por parte do Irão.

Além disso, os alvos de Israel são normalmente alvos militares e nucleares e não figuras políticas.

No entanto, em que ocorre o acidente tem o potencial de agravar as tensões regionais existentes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Presidente do Irão morre em acidente de helicóptero

Helicóptero do presidente iraniano faz "aterragem forçada", informa a imprensa estatal

Vice-presidente do Irão nomeado presidente interino após a morte de Ebrahim Raisi