EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Hamas apela a uma nova intifada

Hamas apela a uma nova intifada
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Depois do anúncio de Donald Trump sobre Jerusalém, o Hamas apelou a uma nova intifada.

PUBLICIDADE

O Hamas, apelou, esta quinta-feira, a uma nova intifada. O movimento islâmico palestiniano pede que se inicie uma revolta contra Israel um dia depois de Donald Trump, reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

"Façamos do oitavo dia de dezembro o "Dia da raiva", e o início de um amplo movimento de intifada, que será chamado de liberdade para Jerusalém e Cisjordânia, enquanto libertamos Gaza", afirmou Ismail Haniyeh, líder político do Hamas.

Na Faixa de Gaza, os residentes expressam raiva e frustração pela decisão do presidente dos EUA que pode destruir a já por si frágil paz no Médio Oriente:

"Eu digo aos árabes que devem estar todos juntos e enfrentar os judeus, todos, jovens, velhos e mulheres, isto é um desastre", afirma Joma'a al-Dorra, residente de Gaza.

O Hamas matou centenas de israelitas durante um levantamento armado, no início dos anos 2000. Hoje, a capacidade deste grupo palestiniano, de realizar ataques, é mais limitada.

Quarta-feira, Donald Trump afirmava: 

"Hoje reconhecemos, finalmente, o óbvio, que Jerusalém é a capital de Israel (...) Isto é mais do que o reconhecimento da realidade. (...) É algo que tem que ser feito. Com este anúncio reafirmo o comprometimento da minha administração com um futuro de paz", afirmou na quarta-feira o presidente dos EUA.

Ainda na quarta-feira, e depois deste anúncio, O líder político do Hamas, Ismail Haniye, tinha afirmado que a decisão de Trump não altera o estatuto "religioso, jurídico e administrativo" da cidade. Outro responsável garantia que a decisão "abre as portas do inferno".

Os palestinianos reivindicam Jerusalém Oriental como capital do futuro Estado da Palestina e mesmo a maior parte dos países da comunidade internacional não reconhecem Jerusalém como capital de Israel.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Hamas define decisão americana como declaração de guerra

ONU avisa que sistema de saúde de Gaza "está de rastos" e suspende entregas de ajuda em Rafah

Ministro israelita das Comunicações ordena a devolução do equipamento de vídeo apreendido à AP