Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Protestos contra Trump no mundo muçulmano

Protestos contra Trump no mundo muçulmano
Direitos de autor
REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

"Já é tempo dos Estados Unidos reconhecerem Jerusalém como capital de Israel."

As palavras de Donald Trump, ditas esta quarta-feira, não caíram bem aos palestinianos. 

Os protestos foram muitos, um pouco por todo o mundo.

Damasco, Síria

Em pleno campo de refugiados, mulheres, homens e crianças, manifestaram-se contra o presidente norte-americano.

Os protestantes queimaram a bandeira dos Estados Unidos e a bandeira de Israel, em forma de protesto.

Kabul, Afeganistão

Os protestos também chegaram à capital afegã. Centenas de pessoas manifestaram-se com cartazes que diziam: "Morte à América, morte ao Trump e a Israel"

"Queremos que todos os muçulmanos de todo o mundo se juntem e declarem guerra contra a América e Israel. ", disse um dos protestantes. 

Istambul, Turquia

Foram centenas as pessoas que protestaram pelas ruas de Istambul, contra as declarações do presidente norte-americano.

Gritos de guerra, cartazes e bandeiras fizeram parte do mote dos manifestantes. 

Cairo, Egito

Os palestinianos do Cairo também não pouparam as palavras de Trump e saíram à rua. Nas mãos levaram cartazes com a bandeira da Palestina em Jerusalém. 

"O Trump precisa de saber que a Palestina está no coração de todos os árabes, de todos os muçulmanos e de todas as pessoas livres no mundo.", disse um dos manifestantes. 

Palavras que parecem de paz, num tempo em que a calma parece estar longe.