Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Líderes dos partidos populistas europeus unidos contra a UE

Líderes dos partidos populistas europeus unidos contra a UE
Direitos de autor
REUTERS/David W Cerny
Tamanho do texto Aa Aa

Os líderes dos partidos populistas de direita europeus reuniram-se na capital checa no sábado para reafirmar o objetivo que os anima: pôr fim à União Europeia.

A convite da extrema direita checa, estiveram presentes vários representantes dos partidos do grupo parlamentar europeu "Europa das Nações e da Liberdade", entre os quais a francesa Marine Le Pen: "Nenhum de nós é xenófobo. O que nos une é a oposição à União Europeia porque acreditamos que é uma organização desastrosa que está a destruir o nosso continente por meio da dissolução e da submersão migratória que organiza e da negação das nossas respetivas culturas", disse a líder do Frente Nacional francês.

Le Pen teceu louvores a Vladimir Putin, enquanto o holandês Geert Wilders apelou a imitar as políticas anti-imigração de Trum.

Na opiinião do dirigente do Partido para a Liberdade holandês, "Devemos ter a coragem de introduzir restrições à entrada de muçulmanos como fez o presidente Trump nos Estados Unidos. Devemos ter a coragem de reenviar todos os barcos com imigrantes ilegais, como a Austrália está a fazer há muito tempo."

Algumas centenas de manifestantes protestaram diante do hotel onde foi organizado o encontro. Muitos gritavam "Vergonha!" e empunhavam cartazes com inscrições como "Justiça social em vez de racismo, nacionalismo e xenofobia".

O partido checo anti-imigração e anti-muçulmano obteve nas eleições de outubro 22 dos 200 mandatos parlamentares.