Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Reforma fiscal de Trump ultimada

Reforma fiscal de Trump ultimada
Tamanho do texto Aa Aa

Os membros republicanos do Congresso dos Estados Unidos divulgaram na sexta-feira a versão final do projeto de reforma fiscal que o governo de Donald Trump defende como "a maior redução de impostos da história". O plano final de reforma tributária obteve o apoio de dois senadores republicanos que antes estavam hesitantes: Marco Rubio (Flórida) e Bob Corker (Tennessee). "Prevejo que tanto a Câmara como o Senado aprovarão esta lei da reforma fiscal. A reforma tributária vai melhorara a vida de todos, graças ao alívio de impostos que as famílias recebem, graças a salários mais elevados, porque temos uma economia mais forte, e trata-se também de fazer regressar empregos que saíram do país", disse Kevin Brady, presidente da comissão da Câmara dos Representantes responsável pela reforma, a comissão de Meios e Recursos .

A versão definitiva do projeto de lei terá votação final na Câmara dos Representantes e no Senado no início da próxima semana.

Os mercados acionários norte-americanos reagiram positivamente, apresentando forte valorização na sexta-feira, animados pela perspetiva de redução dos impostos e de revisão nas políticas fiscais.

O governo de Trump apresentou a reforma como “a maior redução de impostos da história”, mas alguns especialistas alertam que esta só beneficiará os mais ricos.

"A reforma fiscal atualmente discutida no Congresso norte-americano ameaça fazer implodir o sistema de assistência social para os mais pobres", disse na sexta-feira em Washington, Philip Alston, relator especial das Nações Unidas sobre a pobreza extrema e os direitos humanos.

Segundo um relatório do Banco Mundial divulgado em setembro, nos Estados Unidos 41 milhões de pessoas vivem na miséria.