Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Australiano acusado de tentar vender mísseis norte-coreanos

Australiano acusado de tentar vender mísseis norte-coreanos
Direitos de autor
AAP/Mick Tsikas/via REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

Um cidadão australiano de origem sul-coreana foi detido em Sydney, sob a acusação de tentar vender componentes usados em mísseis balísticos produzidos na Coreia do Norte.

De acordo com a polícia federal australiana, Chan Han Choi agiu como agente comercial de Pyongyang, com o desejo de servir a Coreia do Norte.

O homem de 59 anos enfrenta seis acusações relacionadas com a negociação de venda de componentes de mísseis da Coreia do Norte a outras entidades internacionais, e por tentar transferir carvão da Coreia do Norte para a Indonésia e o Vietname.

Violou assim as sanções das Nações Unidas e da Austrália contra a Coreia do Norte, frisou o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull.

"Esta é uma detenção muito importante. As acusações são muito graves. A Coreia do Norte é um regime criminoso perigoso e imprudente que ameaça a paz da região. Este homem violava as sanções das Nações Unidas, não apenas com a venda de matérias primas como o carvão, mas também de armas e drogas, e o envolvimento em crime cibernético", disse Turnbull.

Em outubro, a Coreia do Norte acusou a Austrália de preparar uma guerra na península da Coreia com manobras "perigosas" associadas a ações hostis dos Estados Unidos contra Pyongyang.

Um comunicado divulgado pela agência KCNA norte-coreana denunciava que "Ultimamente, a Austrália tem efetuado movimentações perigosas, associando-se zelosamente às frenéticas provocações políticas e militares norte-americanas contra a Coreia do Norte, provocações que agravam ainda mais a situação na península coreana".

Segundo a politóloga norte-americana Suzanne DiMaggio, especialista em assuntos norte-coreanos, em encontros de bastidores as autoridades de Pyongyang têm assegurado que a Coreia do Norte não aspira a possuir um vasto arsenal nuclear, mas apenas as armas suficientes para se defender, bem recordadas da sorte de Muammar Kadhafi e Saddam Hussein.

No dia 12 de dezembro, o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, declarou que os Estados Unidos estão prontos para dialogar em qualquer momento com o líder norte-coreano sem apresentar pré-condições.