A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Dois palestinianos morreram em confrontos com polícia israelita

Dois palestinianos morreram em confrontos com polícia israelita
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O rastilho foi lançado por Donald Trump e os conflitos rapidamente rebentaram pelas ruas.

Já se perdeu a conta ao número de vítimas causadas pelos confrontos pós declaração do presidente dos Estados Unidos da América, agora soma-se a morte de mais dois palestinianos, os quais morreram depois soldados israelitas abrirem fogo sobre um grupo de 60 palestinianos. 

Trump assumiu Jerusalém como capital de Israel, esperou que o resto do mundo fizesse o mesmo, o que não aconteceu.

Na quinta-feira passada, as Nações Unidas votaram sobre o tema. Resultado: 128 países contra um. Os Estados Unidos ficaram sozinhos na decisão que tem levado palestinianos e israelitas às ruas. 

Os protestos acontencem um pouco por todo o mundo mas é na fronteira de Gaza com Israel que os confrontos são mais intensos.

Em Jerusalém, em pleno dia de oração, a cidade aparenta estar calma, mas nem por isso silenciosa. 

Centenas de manifestantes palestinianos decidiram levantar vozes de agradecimento ao presidente turco, o qual marcou posição contra as decisões de Donald Trump.

Mesmo a dias das celebrações do Natal, os conflitos entre israelitas e palestinianos não parecem terminar.