Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Governo iraniano mobiliza apoio

Governo iraniano mobiliza apoio
Tamanho do texto Aa Aa

Após cinco dias de protestos no Irão, entre 28 de dezembro e 1 de janeiro, o governo iraniano mobilizou no sábado pela quarta vez manifestações de apoio em todo o país.

Na capital e várias outras cidades do país, dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas para condenar a violência e manifestar apoio ao governo.

As autoridades acusam o agente da CIA responsável pelas operações no Irão, Michael D’Andrea, os servições secretos israelitas e a Arábia Saudita de terem fomentado a agitação no país, com a ajuda de grupos da oposição e dos Moudjahedin do Povo, com o objetivo de derrubar o regime.

Ao mesmo tempo, as autoridades querem separar os responsáveis por atos de vandalismo e violência daqueles que têm reivindicações legítimas contra o alto custo de vida e o desemprego. O Parlamento iraniano, que está atualmente a rever o projeto de orçamento para o próximo ano iraniano, que começará em março, rejeitou qualquer aumento no preço dos combustíveis, eletricidade, gás e água.

Entre os mais de mil detidos desde o início das manifestações estão cerca de 90 estudantes universitários, segundo o deputado Mahmoud Sadeghi.

O vice-reitor da Universidade de Teerão, Majid Sarsangi, disse à agência noticiosa ISNA que a universidade criou uma comissão encarregada de averiguar sobre o destino dos estudantes presos durante os protestos.

Em Berlim, diante da Porta de Brandemburgo, um protesto reuniu opositores do governo iraniano com bandeiras e tambores que pediam a libertação dos seus compatriotas detidos.