Última hora

Última hora

Martin Schulz confirma que não vai ser chefe da diplomacia alemã

Em leitura:

Martin Schulz confirma que não vai ser chefe da diplomacia alemã

Martin Schulz confirma que não vai ser chefe da diplomacia alemã
Tamanho do texto Aa Aa

Afinal, Martin Schulz não será o próximo ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha nem ocupará qualquer cargo num Governo de coligação de Angela Merkel.

A informação foi avançada pelo Partido Social-Democrata (SPD).

Schulz, o mesmo que no rescaldo das eleições do ano passado posicionou de forma clara o SPD como força da oposição, diz que "espera, assim, por fim ao debate interno no seio do SPD."

O assunto tem feito correr muita tinta. Schulz é acusado, por alguns, de dar o dito por não dito. Foi alvo de críticas do próprio partido depois de ter referido que deixaria a presidência da formação para a chefe do grupo parlamentar Andrea Nahles.

Também Sigmar Gabriel, antigo líder do SPD e chefe da diplomacia alemã no anterior Governo, criticou Schulz. Há relatos de que este tinha prometido a Gabriel mantê-lo no cargo no novo Governo. Mas na quarta-feira Schulz voltou atrás. Disse querer ficar com a pasta em causa.

De acordo com a emissora ARD, Schulz participou, na manhã desta sexta-feira, numa conferência por telefone com representantes do partido no Estado da Renânia do Norte-Vestefália. Ao que tudo indica terá sido duramente criticado. Terá perdido o importante apoio regional do partido e precipitado a renuncia.

A 4 de março serão conhecidos os resultados de um referendo interno ao acordo de coligação, que a juventude do SPD promete chumbar.

A incerteza em relação ao futuro de Merkel e de um quarto mandato persiste.