EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Gregos exigem libertação de soldados detidos pela Turquia

Gregos exigem libertação de soldados detidos pela Turquia
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os militares, um tenente e um sargento, foram detidos no início do mês depois de terem entrado sem autorização em território turco

PUBLICIDADE

Cerca de 5 mil pessoas saíram à rua na cidade grega de Orestiada, este domingo, para exigir a libertação de dois soldados detidos pelas autoridades turcas. Os militares - um tenente e um sargento - foram detidos no início do mês depois de terem cruzado a linha fronteiriça que separa a Grécia e a Turquia.

As autoridades gregas argumentam que os soldados se perderam devido ao nevoeiro.

"É uma demonstração e um protesto para que os dois homens que se encontram detidos em Adrianópolis possam regressar a casa" refere um manifestante.

Uma ação de protesto organizada na cidade natal dos dois militares e que se estendeu à linha de fronteira com o país vizinho, desta vez, de bicicleta. Dezenas de ciclistas participaram na iniciativa para exigir a libertação dos dois gregos.

"É importante dizer que nós cultivamos o espírito de amizade e queremos mostrar isso com ações. A nossa mensagem é a de que queremos os nossos rapazes de volta o mais depressa possível" refere Christos Leventis, presidente do clube de ciclismo Resos.

Os militares gregos foram detidos por uma patrulha fronteiriça turca perto da povoação grega de Kastanies, a cerca de cinco quilómetros da cidade turca de Edirne e foi até que muitos decidiram pedalar, este domingo. O objetivo é pressionar Ancara para que deixe cair as acusações contra os militares acusados de "entrar numa zona militar proibida" e de "tentativa de espionagem militar."

Ioannis Karagiorgas/Euronews: "Estamos na fronteira de Kastanies. Os dois gregos foram detidos a cerca de 100 metros atrás do local onde me encontro e estão, agora, numa prisão de Adrianópolis, na Turquia."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças de segurança realizam operações na capital da Nova Caledónia para controlar onda de violência

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"

Nemo quebrou o código: Concorrente da Suíça é primeira pessoa não-binária a vencer a Eurovisão