EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Russo exilado no Reino Unido encontrado morto em Londres

Polícia antiterrorismo está a investigar a morte de Nikolai Glushkov
Polícia antiterrorismo está a investigar a morte de Nikolai Glushkov Direitos de autor REUTERS/Peter Nicholls
Direitos de autor REUTERS/Peter Nicholls
De  Francisco Marques com reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nikolai Glushkov foi encontrado pela família com alegados sinais de estrangulamento. Antigo diretor da Aeroflot foi relacionado com Vladimir Putin e com o principal suspeito da morte do espião Alexander Litvinenko

PUBLICIDADE

A morte até ver inexplicada no Reino Unido de um homem com ligações a Vladimir Putin e ao principal suspeito do assassinato do antigo espião russo Alexander Litvinenko está a ser investigada pela polícia britânica antiterrorismo.

Nikolai Glushkov, de 68 anos, foi encontrado morto pela família numa casa do sudoeste de Londres.

As autoridades garantem não haver relação com o recente envenenamento do antigo espião russo Sergei Skripal em Salisbury, mas Glushkov terá sido outrora alvo de Andre Lugovoy, o principal suspeito pelo assassinato de Litvinenko.

Glushkov foi um dos homens mais poderosos na Rússia após o colapso da União Soviética. Foi diretor geral da Aeroflot, trabalhou para o oligarca Boris Berezevski e entrou em choque com Vladimir Putin.

Acabou preso pelo alegado desvio de milhões da Aerosoft.

Libertado em dois 2004, exilou-se no Reino Unido, onde foi agora encontrado morto.

O jornal russo Kommersant noticia que o cadáver do antigo empresário teria sido encontrado pela filha com sinais de estrangulamento no pescoço e avança com a suspeita de suicídio.

Outras fontes • Kommersant

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Morte de Nikolai Glushkov dá origem a investigação por homicídio

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido