Última hora

Última hora

"Ser Presidente na América Latina é um ofício perigoso"

Em leitura:

"Ser Presidente na América Latina é um ofício perigoso"

"Ser Presidente na América Latina é um ofício perigoso"
@ Copyright :
Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Fernando Henrique Cardoso considera que há uma nova forma de corrupção no Brasil. Da rede de favores pessoais, diz, passou-se a um tráfico de influências que está agora na base do poder dos partidos. O antigo chefe de Estado brasileiro explica como tudo se passa: "Você tem empresas que são Estatais. Essas empresas que são Estatais fazem contratos com empresas que são privadas. Esses contratos são super-faturados. O dinheiro passa pelas empresas privadas e vai para os partidos. Essas pessoas que são nomeadas para essas empresas pelos Governos são pessoas nomeadas para fazer isso. Formam um sistema de corrupção. Isso é recente. Não é tradicional".

Fernando Henrique Cardoso considera que a Operação Lava-jato é a "a Justiça tentando conter esses abusos" e sublinha o facto de "pela primeira vez na história" haver "uma quantidade de pessoas poderosas e ricas na cadeia".

Para o antigo presidente brasileiro, foi preciso "coragem da sociedade Brasileira, de levar adiante esses processos, com um efeito devastador sobre a elite política e económica do país".

"Eu disse, a brincar, no outro dia: é um ofício perigoso, ser presidente da República. Pode ir parar na cadeia. No passado não", afirma.

Fernando Henrique Cardoso foi presidente do Brasil de 1995 a 2003, depois de ter sido ministro do governo de Itamar Franco. Os seus mandatos antecederam a 'era Lula' e a subida do PT ao poder.