EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

ONU pede investigação independente em Gaza

ONU pede investigação independente em Gaza
Direitos de autor 
De  Ana Ruivo
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nos confrontos da última semana já morreram 32 palestinianos.

PUBLICIDADE

Os atuais confrontos na fronteira entre Gaza e Israel já são considerados os mais violentos dos últimos anos. Esta sexta-feira, dez pessoas morreram, entre elas um jornalista, e cerca de 500 ficaram feridas. O secretário-geral da ONU, António Guterres, pede uma investigação independente sobre os confrontos. Um apelo repetido pelo embaixador do Kuwait na ONU.

“Condenamos firmemente a ação das forças israelitas que provocaram a morte de palestinianos durante os protestos pelos seus direitos intransmissíveis. Mais uma vez, repetimos o apelo do secretário-geral para a necessidade de uma investigação independente e transparente sobre estes incidentes. Reafirmamos também a importância de uma proteção internacional para os palestinianos”

Os confrontos começaram no final de março com um protesto pacífico convocado por vários grupos palestinianos. Para Jonathan Conricus, porta-voz do exército israelita, os confrontos são uma forma do Hamas lançar ataques contra o país

“Não é, de forma nenhuma, uma manifestação pacífica. É um motim com meios violentos. O objetivo desta ação, de acordo com o  Hamas, é acabar com a fronteira. Eles querem entrar em Israel. Estão a tentar utilizar estes confrontos como um disfarce, uma forma de entrar, de abrir a vedação e colocar terroristas em Israel”.

A chamada "Marcha do Retorno" começou em Gaza, no dia 30 de março, com manifestações junto à fronteira com Israel.

Nos confrontos já morreram 32 palestinianos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Gaza: Eurodeputados criticam violência israelita e instigação do Hamas