Reino Unido e Rússia trocam acusações na OPAQ

Reino Unido e Rússia trocam acusações na OPAQ
De  João Paulo Godinho
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O organismo internacional já veio reiterar a sua neutralidade, depois de algumas críticas russas por suposta parcialidade.

PUBLICIDADE

A Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) defendeu a neutralidade dos seus laboratórios e da investigação sobre o 'caso Skripal'.

A tomada de posição surge depois das críticas russas à alegada parcialidade do organismo, que já confirmou as perícias britânicas sobre o agente neurotóxico usado no ataque: Novichok.

A OPAQ promoveu também esta quarta-feira na sua sede em Haia uma reunião com representantes britânicos e russos.

Do encontro ficou uma vez mais a dura troca de acusações entre os dois países, com o Reino Unido a apontar à Rússia a autoria de uma campanha de desinformação.

"Penso que, antes de mais nada, a Rússia precisa de revelar o seu programa de armas químicas e, em segundo lugar, de esclarecer o que está a fazer. O que foi realmente impressionante na sessão de hoje foi que a Rússia continua a fornecer enormes quantidades de desinformação", declarou Peter Wilson, o representante britânico no organismo.

Às acusações britânicas de desinformação, os russos respondem com mais acusações de mentiras.

"Na prática, o que estamos a tentar demonstrar é que tudo o que os nossos colegas britânicos estão a dizer é uma história de mentiras", afirmou o representante russo, Alexander Shulgin.

Com a investigação ainda a decorrer, a OPAQ esclareceu também que a equipa de trabalho presente em Salisbury tinha um caráter meramente técnico e que não integrava as operações britânicas.

O organismo rejeitou incluir especialistas dos dois países nesta operação para proteger a credibilidade do trabalho.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ex-espião russo envenenado no Reino Unido tem alta do hospital

Rússia acusa ocidente de não querer saber "a verdade" no caso Skripal

Estados Unidos alertam para novo pacote de sanções "esmagadoras" contra a Rússia