A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Toronto recorda as vítimas

Toronto recorda as vítimas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os habitantes de Toronto prestam homenagem às vítimas do atentado de segunda-feira. O autor, Alex Minassian, matou seis pessoas e feriu outras 16, por atropelamento, numa rua movimentada da capital canadiana.

As autoridades estabelecem a identidade das vítimas. Anne-Marie D'Amico foi a primeira a ser identificada por familiares e amigos .

A rebelião dos celibatários involuntários

Minassian, de 25 anos, é acusado da morte de dez pessoas e da tentativa de homicídio de 13 outras. Muito provavelmente, matou para vingar frustrações sexuais. Momentos antes do atentado, declarou no Facebook a intenção de castigar as mulheres que o rejeitam. Uma mensagem que incluia uma nota de admiração por Elliot Rodger, que matou seis pessoas a tiros em Isla Vista (Califórnia), em 2014, antes de se suicidar. Num manifesto que deixou, declarava ódio pelas mulheres.

Terrorismo, mas não internacional, islâmico ou político

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, afasta a hipótese de terrorismo e promete segurança:

"Não podemos, enquanto canadianos, optar por viver com medo todos os dias, nas nossas ocupações diárias. Temos de nos concentrar em fazer o possível e o necessário para manter os canadianos seguros permanecendo fiéis às liberdades e valores que nos são queridas."

O incidente ocorreu quando em Toronto decorre uma reunião dos ministros do Interior e Segurança dos sete países mais industrializados do mundo (Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Canadá), depois da cimeria dos chefes da diplomacia do mesmo grémio.