Portugal sob protesto

Portugal sob protesto
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Forças policias e militares queixam-se de discriminação e acusam governo de não cumprir a lei

PUBLICIDADE

Portugal até pode ser um exemplo a seguir no que diz respeito à recuperação financeira mas o regresso à normalidade tem vindo a ser feito a ritmos diferentes. O descongelamento de carreiras, previsto no Orçamento de Estado de 2018, está longe de ser uma realidade para todos, por isso mesmo, polícias e militares uniram-se numa vigília por tempo indeterminado em frente ao Palácio de Belém.

Paulo Rodrigues, presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, queixou-se de discriminação e deu o exemplo da Polícia de Segurança Pública, onde os funcionários civis já foram colocados na posição remuneratória correta mas os polícias continuam à espera.

As forças de autoridade não são as únicas com razões de queixa. A greve dos trabalhadores da saúde tem lançado a confusão um pouco por todo o país. De acordo com a Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, os seis dias de paralisação previstos para este mês no Serviço Nacional de Saúde poderão levar ao adiamento de 18 mil cirurgias.

Editor de vídeo • Bruno Sousa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Operação Maestro": O que sabemos até agora sobre o novo caso de corrupção em Portugal

Manifestação de polícias junta 20 mil pessoas no Porto

"Polícia unida jamais será vencida": 15 mil elementos da PSP e GNR em marcha histórica em Lisboa