EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Cinco milhões voltam a eleger poder local após Revolução de Jasmim

Um tunisino deposita o voto numa urna de Tunis
Um tunisino deposita o voto numa urna de Tunis Direitos de autor REUTERS/Zoubeir Souissi
Direitos de autor REUTERS/Zoubeir Souissi
De  Francisco Marques com France Press
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Depois de legislativas e presidenciais, os tunisinos voltam às urnas sete anos após a Primavera Árabe para escolher as lideranças políticas de proximidade

PUBLICIDADE

As autárquicas deste domingo na Tunísia são as primeiras eleições municipais no país desde a Primavera Árabe iniciada pelo país em 2011.

Após escrutínios parlamentares e presidenciais, cinco milhões de tunisinos são agora chamados a eleger o poder político de proximidade.

Há mais de duas mil listas inscritas em 350 municípios.

Apesar da insatisfação um pouco generalizada, a apatia deve confirmar os receios de uma abstenção acima dos 60 por cento, indicam as previsões.

Ao meio dia, refere a France Press, a participação estava nos 13,6 por cento.

Ainda assim, sete anos após a chamada "Revolução de Jasmim", o presidente da Tunísia apelou à participação.

Este é "um verdadeiro farol de democracia", avisou, após exercer o dever nas urnas, o chefe de Estado Béji Caid Essebsi, um assumido militante do Nidaa Tounes.

Rached Ghannouchi , o líder do Ennahdha, o partido favorito neste sufrágio, votou pela manhã.

O partido islamita é o único a apresentar listas em todos os 350 municípios e deve conquistar a maioria perante o atual parceiro de governo, o secular Nidaa Tounes.

Os resultados apenas serão conhecidos dentro de alguns dias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak

Modi reivindica vitória nas eleições gerais da Índia

Primeiro-ministro Modi perto da vitória nas eleições da Índia