Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Cinco milhões voltam a eleger poder local após Revolução de Jasmim

Um tunisino deposita o voto numa urna de Tunis
Um tunisino deposita o voto numa urna de Tunis -
Direitos de autor
REUTERS/Zoubeir Souissi
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As autárquicas deste domingo na Tunísia são as primeiras eleições municipais no país desde a Primavera Árabe iniciada pelo país em 2011.

Após escrutínios parlamentares e presidenciais, cinco milhões de tunisinos são agora chamados a eleger o poder político de proximidade.

Há mais de duas mil listas inscritas em 350 municípios.

Apesar da insatisfação um pouco generalizada, a apatia deve confirmar os receios de uma abstenção acima dos 60 por cento, indicam as previsões.

Ao meio dia, refere a France Press, a participação estava nos 13,6 por cento.

Ainda assim, sete anos após a chamada "Revolução de Jasmim", o presidente da Tunísia apelou à participação.

Este é "um verdadeiro farol de democracia", avisou, após exercer o dever nas urnas, o chefe de Estado Béji Caid Essebsi, um assumido militante do Nidaa Tounes.

Rached Ghannouchi , o líder do Ennahdha, o partido favorito neste sufrágio, votou pela manhã.

O partido islamita é o único a apresentar listas em todos os 350 municípios e deve conquistar a maioria perante o atual parceiro de governo, o secular Nidaa Tounes.

Os resultados apenas serão conhecidos dentro de alguns dias.