Última hora
This content is not available in your region

UE mantém empenho na solução de dois estados

Confrontos em Gaza
Confrontos em Gaza
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos 60 mortos foi o balanço de um dia de confrontos entre israelitas e palestinianos.
Os confrontos ocorreram na segunda-feira na Faixa de Gaza no mesmo dia em que os Estados Unidos inauguraram a sua embaixada em Jerusalém.

"O verdadeiro papel da Europa é começar por reconhecer o estado da Palestina"

Abdalrahim Alfarra Embaixador palestiniano para a UE, Bélgica e Luxemburgo

A violência suscitou a condenação da comunidade internacional com destaque para as Nações Unidas, Reino Unido, França, Bélgica, Rússia, entre outros.

Israel contudo defendeu as ações, decisão igualmente apoiada pelos Estados Unidos.

Falando a partir de Bruxelas na segunda-feira, a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, reiterou a necessidade de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel e do estado da Palestina.

Do lado palestiniano, o representante diplomático para a União Europeia, Bélgica e Luxemburgo adianta que a Europa devia assumir um papel mais ativo.

"A União Europeia pode assumir o papel de mediador honesto entre palestinianos e israelitas a fim de se chegar à paz. O verdadeiro papel da Europa é começar por reconhecer o estado da Palestina", afirma Abdalrahim Alfarra, embaixador palestiniano para a UE, Bélgica e Luxemburgo.

Ao nível do Parlamento Europeu, a eurodeputada Maria Arena (Grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu ) afirma que neste momento é necessária uma nova estratégia geopolítica.

"A União Europeia, os 28 estados-membros, têm dificuldade em falar a uma só voz no que toca ao conflito israelo-palestiniano e, em particular, à atitude de Israel para com os palestinianos e especialmente os palestinianos de Gaza. A Europa sozinha não poderá substituir a política norte-americana. É por isso que são necessárias novas estratégias geopolíticas", acrescenta a eurodeputada.

Nas declarações emitidas na segunda-feira, Federica Mogherini reiterou a posição europeia afirmando que mantém o empenho na solução de dois estados com Jerusalém como capital comum.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.