Última hora

Candidato a primeiro ministro da Itália é acusado de mentir em currículo

Candidato a primeiro ministro da Itália é acusado de mentir em currículo
Tamanho do texto Aa Aa

O homem que pode vir a ser o próximo primeiro ministro da Itália está a ser acusado de mentir no seu currículo. O professor de Direito Giuseppe Conte, que foi nomeado como candidato pelo Movimento Cinco Estrelas e pela Liga, é alvo de acusações por referir no seu currículo que "aperfeiçoou os seus estudos em Direito" na Universidade de Nova Iorque, tendo completado também um período de pesquisa na Sorbonne no ano 2000 e em Yale em 1992.

Olhando para o dito currículo, este é um documento de 12 páginas, onde diz ter desenvolvido e aperfeiçoado os seus estudos em universidades como Yale, Cambridge, Sorbonne e Universidade de nova Iorque, entre outras. A universidade de Nova Iorque disse que Giuseppe Conte não teve oficialmente estatuto de estudante mas que lhe foi permitido utilizar a biblioteca da universidade entre os anos de 2008 a 2014 para fins pessoais de pesquisa.

O Movimento Cinco Estrelas, o partido que propôs Giuseppe Conte como candidato a primeiro-ministro, declarou num comunicado que Conte nunca alegou ter frequentado qualquer curso na Universidade de Nova Iorque. Se assim for, resta saber a razão porque o incluíu na segunda página do seu currículo e o engrandeceu para fazer crer que estudou na dita universidade.

O assunto levanta outra importante questão: a de saber se o presidente da Itália, Sergio Mattarella, que tem a última palavra sobre a escolha, aceitará um candidato sem qualquer experiência política e que no mínimo poderá ter propositádamente exagerado as suas habilitações.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.