A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Trump anula encontro com Kim Jong-un

Donald Trump já não vai reunir-se com Kim Jong-un a 12 de junho
Donald Trump já não vai reunir-se com Kim Jong-un a 12 de junho -
Direitos de autor
REUTERS/Kevin Lamarque and Korea Summit Press Pool/File Photos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente dos Estados Unidos cancelou, esta quinta-feira, a cimeira, prevista para 12 de junho, com o líder norte-coreano Kim Jong Un, em Singapura.

Donald Trump justifica a decisão com a "enorme raiva e hostilidade" demonstrada na mais recente declaração do líder norte-coreano.

O chefe de Estado norte-americano, acrescenta que o mundo e a Coreia do Norte, em particular, perderam uma grande oportunidade para uma paz duradoura, prosperidade e riqueza. Um "momento verdadeiramente triste na história".

Já Mike Pompeo afirmou que Pyongyang não tem sido muito cooperante:

"Nos últimos dias, esforçámo-nos para fazer o que o Presidente Kim e eu acordámos, juntar equipas de preparação para começarem a trabalhar na preparação para a cimeira e não recebemos nenhuma resposta às questões que lhes colocámos", explicou o Secretário de Estado dos EUA.

De acordo com os media estatais norte-coreanos o país destruiu dois túneis que faziam parte das instalações onde conduziu uma série de ensaios nucleares, num processo que tem como fim reduzir a tensão na Península coreana, e que acontece depois do anúncio, em abril, do fim dos testes nucleares.

Pyongyang escolheu um grupo de jornalistas da Coreia do Sul, EUA, China, Rússia e Reino Unido para acompanharem as operações, que Pyongyang diz "serem a prova de que o país está comprometido com o fim dos ensaios nucleares".