MH17: Rússia só aceitará conclusões quando participar no inquérito

MH17: Rússia só aceitará conclusões quando participar no inquérito
Direitos de autor REUTERS/Grigory Dukor
De  Rodrigo Barbosa com EFE / Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Putin diz que Rússia precisa de participar no inquérito ao ataque contra o voo MH17 da Malaysia Airlines, depois de investigadores apontarem dedo a unidade militar russa

PUBLICIDADE

A Rússia deve participar na investigação internacional ao ataque contra o voo MH17 da Malaysia Airlines para poder aceitar as suas conclusões: esta foi a posição de Vladimir Putin, depois da equipa de investigadores dirigida pela Holanda ter concluído que o avião de passageiros, com 298 pessoas a bordo, foi abatido em julho de 2014, quando sobrevoava a Ucrânia, com um míssil disparado por uma unidade militar russa.

O presidente russo afirmou que "a Ucrânia está envolvida na investigação, mas a Rússia não. Por isso não sabe o que a comissão escreve nos relatórios e em que se baseia. Para reconhecer o relatório, tem de estar completamente envolvida na investigação".

A diplomacia russa já tinha reagido em comunicado, classificando as conclusões do inquérito como "acusações gratuitas" com o objetivo de "descreditar" a Rússia. O Kremlin negou repetidamente no passado qualquer envolvimento no caso, acusando as forças ucranianas de abater o avião da Malaysia Airlines, quando sobrevoava a região separatista de Donetsk.

Em São Petersburgo para participar no Fórum Económico Internacional, o presidente francês Emmanuel Macron apelou ao homólogo russo para lidar de forma construtiva com as investigações.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia contesta acusação de envolvimento na queda do MH17

Putin quer ver fim das sanções europeias

Rússia aborta lançamento do foguetão Angara-A5 a minutos da descolagem