EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

O fluxo de migrantes e a tensão na fronteira franco-italiana

O fluxo de migrantes e a tensão na fronteira franco-italiana
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Euronews foi saber como reagem as comunidades locais ao problema da crise dos refugiados na comunidade alpina.

PUBLICIDADE

A tensão tem vindo a agravar-se na fronteira franco-italiana por causa do fluxo de migrantes que chegam à região alpina. 

Recentemente, grupos de manifestantes denunciaram a morte de uma mulher de origem africana, encontrada num rio da região.

Uma associação acusa a polícia de a ter perseguido até à sua morte. O corpo de um migrante africano foi encontrado num bosque, não muito longe.

No último ano, quase quatro mil migrantes chegaram à fronteira franco-italiana, a maioria dos quais vem da África Ocidental.

Um movimento migratório que desagrada à extrema-direita. Em abril, o grupo Geração Identitária, composto por jovens, organizou um protesto. A Euronews falou com membros do grupo, que vivem na região.

Aymeric Courtet, um dos membros do grupo, disse à Euronews que acham que tem a legitimidade de defender o povo europeu.

"Se o Estado decidiu abandonar o povo, nós estamos aqui. Estamos aqui pelos europeus, para defender a nossa identidade."

Um discurso que não é aceite por todos na região de Briançon. Foi organizada uma rede de solidariedade para com os migrantes. Os defensores dos migrantes acusam o Estado de fugir às responsabilidades.

​"Legalmente, deveriam ser acolhidos, explica Joël Puvrot", do centro Refúgios Solidários.

"E têm um prazo para fazer o pedido de asilo, que pode ou não ser aceite. Mas não cabe à polícia decidir se o pedido de asilo é legítimo."

Em 2017, a França era o 12do país europeu que mais migrantes acolhia.

Estarão os migrantes que pedem asilo a pagar o preço pela resposta europeia à crise dos regugiados?

Saiba mais em INSIDERS.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Três meses depois das eleições Governo sem precedentes em Roma

Países europeus sobem nível de alerta de terrorismo após ataque em Moscovo

Agricultores franceses ameaçam fazer parar Paris