A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Donald Trump admite conceder perdão a Muhammad Ali

Donald Trump admite conceder perdão a Muhammad Ali
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Donald Trump disse estar a pensar conceder um indulto póstumo a Muhammad Ali. Mas a lenda do boxe e dos direitos humanos já foi perdoada há 47 anos pelo Supremo Tribunal dos EUA.

"Estou a pensar numa pessoa que todos conhecem muito bem. Passou por muita coisa. Não era muito popular na altura mas as lembranças dele são seguramente muito populares agora. Estou a pensar em Muhammad Ali", sublinhou o Presidente dos EUA perante os jornalistas, antes de partir para a cimeira do G-7, no Canadá.

O lendário pugilista e ativista dos diretos humanos foi condenado na década de 60 por recusar combater na guerra do Vietname.

Perdeu o título de campeão mundial de pesos pesados de boxe por não querer lutar ao lado de um país em que os seus direitos e os das pessoas de cor não eram reconhecidos.

A sentença acabou por ser anulada. Nas palavras do advogado de Ali, o perdão agora invocado por Trump, que tem concedido uma série de indultos, é "desnecessário."

O Presidente dos EUA estar a avaliar "milhares de nomes" de que pessoas às quais poderá vir a garantir clemência.