EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Trump e Kim Jong-Un assinam acordo que prevê desnuclearização

Trump e Kim Jong-Un assinam acordo que prevê desnuclearização
Direitos de autor Anthony Wallace/Pool via Reuters
Direitos de autor Anthony Wallace/Pool via Reuters
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente norte-americano e líder norte-coreano assinaram, em Singapura, acordo que prevê desnuclearização da Coreia do Norte

PUBLICIDADE

É a imagem que há poucos meses parecia impossível e está a marcar a atualidade. Kim Jong-un e Donald Trump apertaram as mãos, num gesto simbólico que durou 12 segundos e deu início às negociações entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos da América, na cimeira de Singapura.

Os dois países encontraram-se para dar início a uma aproximação diplomática que tem como base a desnuclearização da Coreia do Norte e, como contra-partida, o alívio das sanções económicas por parte dos Estados Unidos.

No final da cimeira, depois de um almoço de trabalho, Donald Trump e Kim Jong-un assinaram um acordo histórico entre os EUA e a Coreia do Norte, que serviu para assinalar o progresso nas conversações entre os dois países. E onde, de acordo com o que alguns fotógrafos puderam captar, a Coreia do Norte se compromete com a total desnuclearização. A troca de prisioneiros de guerra e desaparecidos em combate, a estabilidade do regime e as boas relações entre os dois países são mais alguns pontos que constam do documento.

Os termos em que as boas relações entre os dois países vão decorrer, bem como os prazos para a total desnuclearização ainda não foram especificados.

A assinatura de um acordo com medidas específicas gerou alguma surpresa, depois de Donald Trump ter dito que a cimeira de Singapura iria apenas marcar o início das negociações.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Trump e Kim Jong-un a caminho do futuro

Trump afirma que Orbán é um "homem duro" e que o quer de volta como Presidente dos EUA

Democratas pressionam Joe Biden para reavaliar candidatura às presidenciais