Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Aquarius ruma a Valência

Aquarius ruma a Valência
Tamanho do texto Aa Aa

Após mais de três dias no mar tudo o que eles querem é chegar a terra firme, europeia de preferência. Foram resgatados do mar e estão agora a caminho da cidade espanhola de Valência, depois de Itália recusar o seu desembarque. O alívio de quem temia ter de regressar à Líbia é grande:

"Pedimos a Deus que abençoe Espanha e todos os países relacionados com a Europa. Obrigado", desabafou à correspondente da euronews, Anelise Borges, que segue a bordo do Aquarius.

Uma parte das mais de 600 pessoas segue a bordo do navio Aquarius, da organização não-governamental SOS Mediterranée, a restante foi repartida pelo navio Orione da Marinha italiana e pelo navio Dattilo da guarda costeira do mesmo país. Uma viagem longa:

"Serão pelo menos três dias e meio, em boas condições meteorológicas, mas já sabemos que encontraremos ventos de oeste fortes e, portanto, provavelmente teremos que reduzir a velocidade", explica Nicola Estalla, coordenador da SOS Méditerranée.

Longa travessia e longo o caminho que têm pela frente já que a permanência no país europeu, ou noutro qualquer do velho continente não está garantida. É preciso responder a uma série de formalidades legais e só depois disso se decide quem fica e quem é obrigado a partir.

Enquanto alguns saboreiam ainda o resgate sobre outros paira já a nuvem da incerteza sobre as suas cabeças.

Ainda assim, o facto de terem sobrevivido ao novo Cabo das Tormentas, a travessia do Mediterrâneo, é já uma conquista. Na semana passada, a Cruz Vermelha pedia o fim do "massacre" que aqui está a acontecer, depois da morte de mais de 110 imigrantes que tentavam chegar à Europa.