Vitória de Duque nas presidenciais pode comprometer acordo com FARC

Vitória de Duque nas presidenciais pode comprometer acordo com FARC
Direitos de autor REUTERS/Nacho Doce
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A vitória de Iván Duque nas presidenciais colombianas pode comprometer o acordo de paz firmado com as FARC. O presidente eleito prometeu rever o documento.

PUBLICIDADE

Iván Duque, do partido Centro Democrático, é o novo Presidente da Colômbia. O candidato da direita colombiana foi eleito na segunda volta das Presidenciais. Duque conseguiu, de acordo com dados oficiais, 54 por cento dos votos, contra 41,8 por cento, do candidato do movimento Colômbia Humana, Gustavo Petro.

No seu discurso de vitória Duque afirmou que esta é "a oportunidade" porque esperavam "para virar a página da polarização, a página das queixas, dos insultos e das injustiças. O novo chefe de Estado afirmou que não reconhece "inimigos na Colômbia" e que não irá "governar com ódio" e que não odeia "nenhum colombiano", afirmou o presidente eleito.

Iván Duque, de 41 anos, "delfim" do antigo Presidente Álvaro Uribe, sucede, a 07 de agosto a Juan Manuel Santos, uma página virada e que promete trazer mudanças grandes.

Duque propõe-se rever o acordo de paz firmado, pelo seu antecessor, com as FARC. Quer ver punidos os infratores e trazer justiça às vítimas.

Esta vitória, que pode pôr em causa tudo aquilo que Juan Manuel Santos construiu, traz, pela primeira vez uma mulher à vice-presidência do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Colômbia suspende negociações com guerrilha ELN

Líder dissidente das FARC gravemente ferido

Partido político das FARC desiste das presidenciais