Última hora
This content is not available in your region

Assad acusa ocidente de usar armas químicas como pretexto para intervenções militares

Access to the comments Comentários
De  Joao Duarte Ferreira
euronews_icons_loading
Presidente sírio Bashar al-Assad
Presidente sírio Bashar al-Assad
Tamanho do texto Aa Aa

A Síria não tem armas químicas desde 2013 e as alegações relativas à sua utilização servem de pretexto para a invasão por outros países, este o teor de uma entrevista concedida no domingo pelo presidente sírio Bachar al-Assad ao canal de televisão russo, NTV.

"Desde 2013 que não temos armas químicas"

Bashar al-Assad Presidente, Síria

"Desde 2013 que não temos armas químicas mas se colocarmos isto de parte, mesmo se tivéssemos, estas armas só seriam utilizadas se estívessemos a perder e não quando estamos a ganhar. Sempre que estamos a ganhar, eles usam armas químicas. É esta a lógica, isto é usado como pretexto de forma a apoiar os terroristas na Síria", afirmou o líder sírio.

A Síria foi por várias acusada de utilizar armas químicas. No ano passado, os Estados Unidos, a França e o Reino Unido lançaram ataques aéreos em retaliação.

Na mesma entrevista Assad afirma que o país não aceitará dinheiro do Ocidente para a reconstrução após sete anos de conflito. Estima-se que a reconstrução da Síria possa vir a custar até 400 mil milhões de dólares.