A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Tropas de Damasco avançam no sudoeste da Síria

Tropas de Damasco avançam no sudoeste da Síria
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As tropas de Bashar al-Assad reconquistaram mais povoações na província de Derra, sudoeste da Síria, numa intensa ofensiva que começou dia 19 de junho e que deixou cerca de 160 mil deslocados.

Nos últimos dias, os bombardeamentos das forças de Damasco foram intensos em toda região, situada perto da fronteira com a Jordânia.

A televisão Estatal síria mostrou imagens de pessoas satisfeitas com a chegada das forças do Governo durante o fim de semana. Foi o que aconteceu em Dael, na província de Deraa.

Sábado, grupos de rebeldes encontram-se com representantes russos. Debateram os termos de um cessar-fogo para toda a província.

Um encontro frustrado pelos alegados ataques aéreos contra povoações controladas pelos opositores a al-Assad.

As primeiras vítimas dos confrontos entre tropas Governamentais e rebeldes são os civis. As Nações Unidas falam no perigo de uma catástrofe humanitária à medida que famílias inteiras chegam a campos como os situados em Quneitra, perto da zona ocupada por Israel dos Montes Golã.

Jordânia recusa entrada de mais refugiados

O Conselho Norueguês para os Refugiados pediu à Jordânia para abrir as suas fronteiras a quem descreveu como "pessoas sem mais nenhum lugar para onde ir."

Mas o Reino Hashemita acolhe centenas de milhares de refugiados sírios em território nacional e diz que não é possível receber mais pessoas.

O sudoeste da Síria é um dos bastiões rebeldes no país, tal como a região noroeste, que o presidente Bashar al-Assad deseja reconquistar o mais depressa possível.

Al-Assad quer também recuperar o controlo do território do noroeste, atualmente controlado por forças curdas, apoiadas pelos Estados Unidos.

A ofensiva da parte do exército sírio surgiu depois da capitulação dos enclaves rebeldes perto de Homs e de Damasco, a capital, incluindo Ghouta Oriental, durante uma ofensiva que deixou cerca de mil mortos entre os civis e que levou à destruição de povoações inteiras.