Imran Khan declara vitória em eleições no Paquistão

Imran Khan declara vitória em eleições no Paquistão
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As autoridades revelaram atrasos na divulgação dos resultados oficiais por causa de "problemas técnicos" ocorridos no sistema de transmissão desses mesmos resultados

PUBLICIDADE

As ruas da capital paquistanesa, Islamabad, encheram-se de apoiantes do partido do antigo jogador de críquete Imran Khan em clima de comemoração.

Favorito nas eleições legislativas, o candidato do Movimento pela Justiça do Paquistão (TPI) liderava esta quinta-feira a contagem não-oficial e parcial dos votos. Khan declarou vitória e prometeu um "novo" país.

De acordo com os resultados preliminares avançados pelos meios de comunicação locais, Khan tem uma larga distância em relação à Liga Muçulmana do Paquistão (PML-N), da família Sharif, e deverá conseguir a maioria necessária para formar Governo.

Shahbaz Sharif, o irmão do antigo primeiro-ministro Nawaz Sharif, que foi condenado a dez anos de prisão, mostra-se alinhado com outros partidos. Denuncia fraudes massivas e diz que não reconhece os resultados antes do anúncio oficial que tarda em chegar.

"Rejeitamos o resultado por completo. Sou uma pessoa pacífica, que quer andar para a frente. Estou a dizê-lo. Depois vão perceber a manipulação flagrante aconteceu nas assembleias de voto", sublinhou Shahbaz Sharif, líder da Liga Muçulmana do Paquistão (PML-N).

Bilawal Bhutto, do Partido Popular do Paquistão, também denunciou irregularidades.

A Comissão Eleitoral Paquistanesa mencionou a existência de falhas técnicas.

As eleições sangrentas ficaram marcadas por um atentado terrorista perto de uma assembleia de voto e reivindicado pelo autodenominado Estado Islâmico.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleições parlamentares no Irão começam com mais de 15 mil candidatos

Donald Trump excluído do boletim de voto no Illinois

Rússia dá início à votação antecipada para as eleições presidenciais