Última hora

Última hora

Autoridades russas prometem apurar responsabilidades em caso de espancamento prisional

Autoridades russas prometem apurar responsabilidades em caso de espancamento prisional
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades russas estão a investigar o caso, esta a garantia dada na quinta-feira pelo chefe da delegação russa perante o Comité da ONU contra a Tortura, em Genebra.

"Quando abri o ficheiro pela primeira vez só consegui assistir aos primeiros 10 segundos"

Irina Biryukova Advogada, Fundação Veredicto Público

A publicação de um vídeo com imagens do espancamento brutal de um prisioneiro russo em 2017 gerou uma onda de choque no país.

A publicação do vídeo na semana passada pelo jornal Novaya Gazeta já levou à detenção de oito funcionários prisionais incluindo o vice-diretor do estabelecimento.

Irina Biryukova, advogada da Fundação Veredicto Público e responsável pela publicação do vídeo defende a decisão.

"Assim que obtivemos o vídeo decidimos publicá-lo. Ficámos profundamente chocados. Quando abri o ficheiro pela primeira vez só consegui assistir aos primeiros 10 segundos sem som e não consegui assistir ao resto. Não consegui regressar ao vídeo durante dois ou três dias. A seguir, eu e os colegas assistimos ao vídeo em conjunto e foi então que decidimos publicar", afirmou a advogada.

Após a publicação do vídeo, Irina Biryukova recebeu várias ameaças de morte e teve que abandonar o país devido a receios pela sua segurança pessoal.

O caso ocorreu numa prisão na região de Yaroslavl. O prisioneiro em questão encontrava-se algemado enquanto era espancado por guardas em uniforme.